Auto-destruição involuntária.

Me parece contraditório o amor que não acaba, acabar conosco, tal como o amor que nos faz sorrir, é o mesmo que nos derruba. A verdade é que construímos um sentimento com a capacidade de nos destruir. Frequentemente, vejo pessoas falando de amor e eu vejo um brilho em seus olhos, que nunca encontrei nos meus, eu vejo esse sentimento as fazendo bem, como nunca fez a mim. O amor que eu conheço, é um amor destrutivo, degradador.  E quando vejo sonhos alheios se realizando, amores se concretizando, enquanto eu permaneço aqui, assistindo a tudo isso, sem ver algum lapso de mudança na minha vida, algo pra me convencer que o problema não está em mim. É como se alguma força maior quisesse me privar de ser feliz e por muitas vezes, conseguindo. Mas no fundo, eu acredito que tudo isso um dia irá mudar, um dia, não hoje.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s