Fechar os olhos, abrir a mente…

Eu ando pensando muito sobre olhos, sobre o que enxergamos, sobre o que queríamos enxergar e é bem complexo.
Eu, por diversas vezes, enxergo mais quando fecho os olhos. Tu pode estar pensando que eu sou louca e talvez eu seja mesmo, mas com olhos abertos eu apenas vejo, vejo tudo que colocarem diante de mim, vejo coisas que são dispensáveis, e de olhos fechado, eu escolho o que quero ver, eu vejo uma realidade mais feliz do que quando abro os olho.
É com os olhos fechados que abrimos a mente. Criamos nossa realidade, que por mais que pareça absurda, ninguém mais tá vendo.
O que vejo ao fechar os olhos, dispensa qualquer segunda opinião, é de mim pra eu mesma.
De olhos fechados, eu vejo aquilo que, quando abro os olhos, desaparecem…e eu não queria que desaparece.
Me pergunto então, de que servem esses óculos que carrego em frente aos olhos praticamente 24 horas por dia, se tudo que eu quero ver, eu vejo sem ele? Eu vejo alguém…vejo alguém que se importa, alguém que liga, alguém que não existe quando estou de olhos abertos.

Anúncios

Tão…genérico.

Eu tentei, tentei com toda a força que eu tinha e até a que eu não tinha, mas acontece, meu amor, que meu peito está sobrecarregado de sofrimento. Uma hora a gente cansa, sabe? É desgastante essa falta de reciprocidade.
Eu tenho feridas nesse coração, mas desconheço os remédios, com isso, procuro remédios genéricos que não as curam, apenas fazem com que eu esqueça temporariamente, mas algum dia, quando terminado o efeito, ela voltará, e voltará imune a esses remédios baratos que eu comprei na farmácia la da esquina. Os remédios parecem cada dia mais caros e difíceis de encontrar, quando na verdade, são todos inúteis, pois esse coração, que embora ferido, ainda bate, só se curaria de fato com um remédio especifico, em meio a tantos genéricos baratos, só há um que possa cessar todo esse sofrimento acumulados no decorrer dos anos, e esse remédio não é caro, não é barato…e não é nada fácil de encontrar…Esse remédio provavelmente terá nome e sobrenome, e quando esse sobrenome fizer parte do teu nome, tu terá encontrado o remédio certo.

Verdades de mentira, etc…

A gente se acostuma tanto com a mentira, que perde a capacidade de procurar por verdades. Embora, por diversas vezes, eu até saiba da verdade, mas tal verdade não corresponde as minhas expectativas e por isso, acredito na mentira, mas ora a verdade surge diante dos meus olhos, aquela verdade o qual eu fujo toda noite, aquela verdade que eu me recuso a acreditar. A mentira costuma ser aquilo que queríamos que fosse verdade, e a verdade, aquilo que queríamos que fosse mentira.  Queria eu ter a capacidade de abandonar todas essas mentiras convenientes, levantar e refazer a minha verdade, mas não é tão fácil quanto parece…na verdade, é bem difícil.

Sobre aquilo que deveria ter sido…feito ou dito.

Eu te procurei, por diversas vezes. Arrumei assuntos que, podiam não ser interessantes, mas era a forma que eu encontrava de não perder o assunto contigo. Eu me desculpei por erros que não cometi sozinha, me desculpei por coisas que você fez. Eu liguei mesmo quando sabia que você não poderia conversar, só pra ouvir tua voz. Eu fingi que estava bem, enquanto chorava diante de um monitor. Eu acreditei em você, acreditei de uma forma que eu nunca havia acreditado antes. Eu desejei toda noite antes de dormir, pelo dia que eu acordaria e te veria do meu lado. Eu te dei a força que eu não tinha , a coragem que me faltava, o amor que tinha guardado durante todos esses anos. Eu pensei que realmente o amor era capaz de superar a distancia, de superar tudo, mas não superou. Eu esperei por você, como eu nunca esperei por nada, nem por ninguém. Eu fiz planos e te envolvi em todos eles. Eu me imaginei com teu sobrenome, e eu nunca havia pensado antes. Eu fiz tudo que eu pude, só não destruí a estrada que me privava de compartilhar com você essa carga enorme de sentimentos, acumulados, os quais eu estava disposta a senti-los contigo, mas você desistiu, e o que é pior, desistiu antes de concretizar algo…daí ficou tudo dentro de mim. Tudo que teria sido, que teria sido falado, que teria sido vivido…mas não foi.

Bifurcação

 A gente procura explicação pra tudo, o tempo todo, mas esquecemos que as melhores coisas são aquelas que nos faltam palavras pra explicá-las. Tentamos explicar o porque de alguém sair de nossas vidas, sem se quer saber o porque um dia, entraram. Queremos explicar sentimentos, que, se fossem explicáveis, não viveriam apenas dentro da gente. Mas acontece que, desde pequenos, nos ensinaram que tudo na vida tem um porque, mas não existe ser-humano que seja apto a nos explicar como chegar nesse porque, ou que provasse que, de fato, existe esse porque. Discordando de tudo aquilo que ouvi ao decorrer dos anos, acredito que nada é predestinado, sendo a vida uma estrada bifurcada, sempre haverá caminhos a serem percorridos, escolhas a serem tomadas e isso não cabe ao destino ou qualquer outra conspiração (imaginária). Destino é um pretexto pra um bando de preguiçosos que deixam tudo a Deus dará, esperando por mudanças; sem se lembrar de um detalhe: É dentro da gente que a mudança começa. Portanto, o meu conselho é: Não procure explicações, não dê explicações. Vá ser feliz e se não conseguir de primeira, continue tentando.