Vá.

Passou.
Ah…parece que, depois de tanto tempo, eu estou respirando. Diversas noites eu perdi o sono, achei que aquela angustia de amor reprimido nunca sairia de dentro de mim, mas saiu…passou. Passou pra longe de mim.
A gente costuma achar que essa dor nunca vai sair da gente, mas um dia, sai. Pode demorar dias, meses ou até mesmo anos, mas aos poucos, sai.
Não que eu esteja repleta de motivos pra sorrir, porém, não tenho pra chorar. Não estou bem, nem ruim, estou apenas caminhando, depois de tanto tempo parada, estagnada no mesmo lugar, estou seguindo em frente, com um coração arremedado, olhos enxugados e um pouco de insegurança, mas estou indo, apenas não sei pra onde, mas é pra longe, pra longe de onde eu tenho estado nesses últimos anos. Certeza? Não tenho nenhuma. Medo? Infinitos. Só o que eu sei é que exatamente aqui que eu quero estar, agora, pra onde eu vou, com quem eu vou, isso um dia eu vou saber, e escrever sobre. Por enquanto eu apenas vou, deixando pra trás aqueles que me deixaram pra trás.
Seguir em frente, sem saber ao certo onde é esse tal “em frente”, esse é o lema.

Anúncios