Necessidades.

Tem dias que a gente chega realmente chega a pensar que as lágrimas nunca mais terminaram, mas terminam, aos poucos, bem aos poucos, mas um dia, terminam. Mas dores são substituídas, e muitas vezes, por outras dores, outros amores, é como um ciclo, e eu ainda não aprendi a lidar com isso. Mas a gente se arrisca, mesmo tendo consciência do quão perigoso é colocar o coração nas mãos de alguém, apenas pela possibilidade de sermos felizes como almejamos ser ao decorrer da vida. Mas pessoas são inconstantes o bastante pra um dia segurarem teu coração com toda sua força e no outro apenas largá-lo em algum canto qualquer, e dói, dói mais que um murro ou um chute, porque dói dentro da gente, e ainda não foi inventado algum remédio pra esse tipo de dor, então tomamos o remédios errados e sofremos com as contra-indicações, quando na verdade, o único remédio que pode curar uma desilusão, é o tempo, seja lá quanto tempo for. Mas quando a gente supera, a gente percebe que não dá pra ser feliz sem alguém pra procurar durante uma madrugada mal dormida, a gente quer viver um amor, mesmo sabendo de todas as contra-indicações, a gente quer vivê-lo, a gente quer apanhar, a gente quer passar pelo que for preciso, se isso resultar em sorrisos, é o velho caso de os fins justificarem os meios. No fundo, tudo o que a gente precisa é dormir e ter com quem sonhar. A gente tenta se convencer que somos capazes de sermos felizes sozinhos, a gente convence o cérebro, convencemos os outros, mas o coração…ah…esse a gente não engana.

Anúncios