2014.

Eu prefiro guardar pra mim sentimentos que não me façam bem, pra mim, guardar bem guardado pra esquecer que tem alguma coisa ali. . 

Eu prefiro fingir sorrisos do que demonstrar fraqueza. Eu prefiro parecer bem mesmo não estando.

Eu já demonstrei demais, já escrevi demais, já divulguei demais meus dramas. Eu não quero mais fazer isso.

Eu só quero sempre ter em mente que existem pessoas que vão me segurar quando eu cair, e que eu vou as segurar se caírem.       Eu demorei tanto pra entender que coisas ruins não podem sobrepor coisas boas. Pessoas ruins não podem destruir o que pessoas boas construíram com você e por você.

Hoje, mais do que nunca, a única coisa que eu peço é que quem está comigo, permaneça. O resto vem com o tempo. Não digo que não me falta nada e que eu não me sinto mal com muitas coisas, mas joguei tudo pra segundo, ou terceiro plano. Fica ali o espaço, pra um dia ser preenchido. 

Eu descobri que falar sobre dor só atrai mais dor, então mesmo que ela exista, eu me esforço ao máximo pra deixa-la longe do meu alcance, pra priorizar o que tem que ser priorizado, quem tem que ser priorizado. 

Eu resolvi ser maior de qualquer coisa ou qualquer um que tente me diminuir, eu resolvi manter o que acrescenta, e só acrescentar algo que me some algo. Eu nunca precisei de ninguém pra me trazer problemas, sempre tive problemas o bastante por conta própria.

Eu resolvi deixar no calendário de 2013 todas essas amarras que me prendiam, que me dava medo de tentar algo novo. 

E que 2014 me traga soluções e não problemas, e que mantenha aqueles que acrescentam, e afaste tudo aquilo que não faça bem, amém. 

 

Anúncios

Ninguém sabe…Nem eu.

Esse vazio, essa tristeza, esse cansaço, esse eterno sofrer por algo que eu nem sei o que é.

Eu peço paz, declaram guerra.

Eu peço declarações, não recebo nada.

Eu peço alguém, me perguntam quem – mas eu não sei responder – e sigo só.

Eu tenho coragem pra escrever, mas morro de medo de dizer.

Esse meu choro contigo, pois ninguém precisa saber de nada.

Essa vontade de que algo mude, essa vida estagnada, não avança, não recua, apenas fica ali.

Eu, definitivamente, não sei o que fazer mais com todo esse ”nada”.

Mas é ano novo, amor, as angustias antigas deveriam ter ficado no passado.

A única coisa que eu peço são mudanças, por favor.