Um brinde

Um brinde a falta e a quem peca pelo excesso.
Um brinde a quem partiu e a aqueles que nunca chegaram.
Um brinde à ela, que chegou do nada, aquela moça bonita do cabelo escuro, que se chama saudade.
Um brinde à ele, moço discreto, cigarro no bolso, o olho vermelho, sorrindo sem esforço, sempre lá por acaso, há quem diga que ele se chama abraço.
Um brinde ao abraço que mata a saudade e abraço que deixa saudade.
Um brinde aos brindes que a gente nunca realizou, a quem partiu e quem nem chegou.
Mas eu deveria saber que um brinde tem que ser feito a dois. Um brinde a quem não tem com quem brindar, um brinde a quem se foi, querendo ficar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s